Conta Satélite da Economia Social (CSES)


Conta Satélite da Economia Social em 2013 (edição 2016)

A Conta Satélite da Economia Social (CSES) foi elaborada no âmbito do Protocolo de cooperação assinado em 2011 entre o Instituto Nacional de Estatística, I.P. (INE) e a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social, CIPRL (CASES).


A CASES salienta como especificidades desta Conta Satélite de 2013, ano em que se terá atingido o “pico” da crise económica e financeira, ter o sector da Economia Social revelado um comportamento económico francamente positivo quando comparado com o da economia nacional, em contraciclo, registando 61 268 entidades (em 2013) contra 55 383 (2010), um crescimento de 10,6% neste período.
Ou seja, a economia social, através das Entidades da Economia Nacional – Cooperativas, Mutualidades, Misericórdias, IPSS, Fundações, Associações com fins altruísticos e o Subsector comunitário e autogestionário -, registou um aumento substancial em número de entidades, assim como do seu peso no emprego total (5,2%) e no emprego remunerado (6%) na economia nacional, além de um aumento da remuneração média por trabalhador face à média nacional, em comparação com os resultados apurados na Conta Satélite da Economia Social com dados de 2010.
O contributo da economia social para a criação de riqueza (VAB) nacional manteve-se estável o que significa, atendendo à redução do VAB nacional, que registou neste período, em termos relativos, um ligeiro acréscimo.
Também se verifica que, em 2013, a Economia Social esteve presente transversalmente em todas as atividades económicas. As mais de 61 mil entidades registadas em 2013 na Economia Social estão presentes em todas as regiões NUTS III de Portugal mas, constata a CASES, que se localizam com maior intensidade na Área Metropolitana de Lisboa (23%) e na Área Metropolitana do Porto (11,7%).

Conta Satélite da Economia Social (edição 2016)
– 20 de dezembro de 2016

CSES (em Inglês)
Quadros da Conta Satélite (186 kb)
CVS (7 kb)
Sessão Temática “A Conta Satélite da Economia Social de 2013” | 17 de fevereiro de 2017 | INE

 

Conta Satélite da Economia Social em 2010 (edição 2013)

O INE, I.P. e a CASES procederam, em sessão pública realizada no dia 18 de Abril de 2013, que contou com a presença do Secretário de Estado da Solidariedade e Segurança Social, à divulgação detalhada dos resultados da CSES para o ano 2010. Foram igualmente divulgados os principais resultados do Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012, elaborado no âmbito da CSES.
A implementação da CSES, sob a forma de um projeto piloto, decorre da necessidade de avaliar de forma exaustiva a dimensão económica e as principais características da Economia Social em Portugal.
A caracterização da Economia Social em Portugal baseou-se na análise, por tipo de atividade, do número de entidades (universo9 e dos agregados macroeconómicos das Organizações da Economia Social (OES). As principais conclusões a destacar são:
  • Em termos de dimensão relativa do setor, em 2010 o Valor Acrescentado Bruto (VAB) da Economia Social representou 2,8% do VAB nacional total e 5,5% do emprego remunerado (equivalente a tempo completo – ETC).
  • A remuneração média (por ETC) nas OES correspondeu a 83,1% da média nacional, embora apresentando uma dispersão significativa.
  • Das 55 383 unidades consideradas no âmbito da Economia Social em 2010, as Associações e outras OES representavam 94,0%, sendo responsáveis por 54,1% do VAB e 64,9% do emprego (ETC remunerado). As Cooperativas constituíam o segundo grupo de entidades da Economia Social com maior peso relativo, em termos do número de unidades, VAB e remunerações.
  • Perto de metade (48,4%) das OES exerciam atividades na área da cultura, desporto e recreio, mas o seu peso em termos de VAB e emprego remunerado (ETC) era relativamente diminuto (6,8% e 5,4%, respetivamente);
  • A ação social gerou 41,3% do Valor Acrescentado Bruto (VAB) das OES, sendo responsável por 48,6% do emprego remunerado (ETC);
  • Em 2010, o setor da Economia Social registou uma necessidade líquida de financiamento de 570,7 milhões de euros. Contudo, as Cooperativas (fundamentalmente devido às que se integram na área financeira), as Mutualidades e Fundações da Economia Social apresentaram capacidade líquida de financiamento;
  • Os recursos das OES foram fundamentalmente gerados pela produção (62,8%) e por outras transferências correntes e outros subsídios à produção (23,8%). As despesas das OES consistiram, principalmente, em consumo intermédio (31,4%), remunerações (26,8%) e transferências sociais (24,3%);
  • Em 2010, existiam 5 022 Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS). Estas representaram 50,1% do VAB, 42,6% das remunerações e 38,2% da necessidade líquida de financiamento da Economia Social.
Na caracterização do Voluntariado em Portugal, em 2012, destacam-se alguns resultados:
  • Em 2012, 11,5% da população residente com 15 ou mais anos participou em, pelo menos, uma atividade formal e/ou informal de trabalho voluntário, o que representou quase 1 milhão e 40 mil voluntários;
  • Foi possível definir um perfil sintético do voluntário: nas atividades de trabalho voluntário formal destacaram-se os indivíduos mais jovens, desempregados e com níveis de escolaridade mais elevados; predominaram as mulheres e indivíduos solteiros. Nas atividades de trabalho voluntário informal prevaleceram pessoas com mais idade e com maiores níveis de escolaridade, verificando-se uma maior taxa de voluntariado dos indivíduos desempregados e, também, maior proporção de indivíduos divorciados/separados;
  • O Inquérito ao Trabalho Voluntário permitiu, adicionalmente, determinar o trabalho voluntário afeto à Economia Social em 2012. Utilizando como referência o emprego total da Economia Social (expresso em ETC) em 2010, foi possível observar que o trabalho voluntário na Economia Social correspondeu a cerca de 40% do primeiro, o que confirma a importância deste recurso para as OES.
Publicação Conta Satélite da Economia Social (edição 2013)
– 18 de abril de 2013 – Site da CASES e Portal do INE
Resultados Preliminares da Conta Satélite da Economia Social (CSES)
– Destaque INE – 27 de dezembro de 2012
Apresentação da Conta Satélite da Economia Social
– CNES (Conselho Nacional para a Economia Social) – 12 de dezembro 2012
Workshop “Fronteiras da Economia Social”
– INE – Lisboa  – 24 de outubro de 2012