Formação


Com vista a dar resposta às necessidades ao nível das intervenções formativas que são desenvolvidas para o sector da Economia Social em Portugal, a CASES lança, em 2015, a Bolsa de Formadores para a Economia Social.
Esta iniciativa insere-se no âmbito das atribuições legais cometidas à CASES, entre as quais “promover e colaborar na dinamização da formação no sector da Economia Social, nomeadamente através do reforço da qualificação dos profissionais e da sustentabilidade das organizações do sector”, bem como de “fomentar o reconhecimento e capacitação institucional das organizações da Economia Social”.
Através dos diagnósticos realizados e da avaliação da formação realizada desde 2011, numa lógica de melhoria contínua, foram identificadas e validadas diversas áreas de formação e capacitação, relevantes para a melhoria dos procedimentos de gestão e administração das organizações da Economia Social, tendo em vista uma eficaz aplicação dos recursos disponíveis e a sustentabilidade das suas estruturas, projetos e atividades.
Também no que respeita às necessidades de formação e de capacitação organizacional, importa salientar que, à luz das orientações comunitárias para os próximos anos, observam-se como áreas emergentes o empreendedorismo e inovação social, bem como a avaliação de impacto social.
Neste sentido, e de modo a prosseguir com as atividades inerentes às suas atribuições, a CASES propõe-se assim, a constituir uma bolsa de formadores de âmbito nacional, capaz de responder às necessidades de formação e capacitação e aos desafios de futuro que se colocam ao sector da Economia Social.
Pretende-se, ainda, disponibilizar este instrumento a entidades da economia social ou entidades públicas que, através de iniciativa autónoma e recursos próprios, promovem ações de formação e capacitação na área da Economia Social.

Critérios de Constituição da Bolsa de Formadores para a Economia Social


Âmbito Geográfico:

  • Regiões NUTS II de Portugal Continental: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve.

Áreas de Formação:

  • Economia Social;
  • Regime Jurídico da Economia Social;
  • Gestão Estratégica;
  • Gestão de Recursos Humanos;
  • Gestão Financeira;
  • Gestão de Projetos;
  • Contabilidade e Fiscalidade;
  • Marketing e Comunicação;
  • Comunicação Organizacional;
  • Tecnologias de Informação e Comunicação;
  • Ética e Responsabilidade Social;
  • Empreendedorismo e Inovação Social;
  • Avaliação de Impacto Social.

Requisitos de Candidatura


Requisitos obrigatórios:

  • CAP ou CCP de Formador;
  • Formação académica ou complementar e experiência profissional relevante para a área de formação a que o/a formador/a se candidata.

Critérios de valorização de candidatura:

  • Formação académica ou complementar e experiência profissional relevante na área da Economia Social;
  • Docência ou ministração de formação académica e/ou profissional na área da Economia Social;
  • Elaboração de estudos ou publicações na área da Economia Social.

Envio de Candidaturas


As candidaturas à Bolsa de Formadores para a Economia Social são realizadas através do envio para cases@cases.pt , dos seguintes elementos:
  • Ficha de candidatura devidamente preenchida e assinada;
  • Documento de Identificação;
  • Cópia do CAP/CCP de formador;
  • Curriculum Vitae.
  • Download da Ficha de Candidatura

Política de Privacidade e Consulta dos Dados


a) Os dados pessoais e profissionais da Ficha de Candidatura e do Curriculum Vitae são processados e armazenados informaticamente pela CASES e destinam-se a dar resposta a pedidos formulados por entidades consagradas no artigo 4º da Lei nº 30/2013 de 8 de maio (Lei de Bases da Economia Social) ou entidades públicas, no âmbito da realização de intervenções formativas e para efeitos de recrutamento e seleção de formadores.
b) Os dados recolhidos são armazenados numa base de dados criada para o efeito e, em situação alguma serão utilizados pela CASES para outra finalidade que não seja aquela para a qual foi dada a autorização pelo seu titular.
c) A CASES garante a não disponibilização dos dados para consulta pública, facultando apenas os mesmos em caso de solicitação por parte das entidades identificadas na primeira alínea, no âmbito de processos de recrutamento e seleção relacionados com as suas atividades.
d) Informação a disponibilizar pela CASES, mediante pedido específico de uma entidade interessada:
  • Nome;
  • Endereço de correio eletrónico;
  • Habilitações literárias;
  • Áreas de formação;
  • Disponibilidade geográfica e horária;
  • Experiência profissional e formações complementares relevantes;
e) A CASES garante ao titular o direito permanente de acesso, retificação, atualização ou eliminação dos seus dados na Bolsa de Formadores para a Economia Social. Todas as comunicações devem ser realizadas através do endereço de correio eletrónico cases@cases.pt.