Formação


 

* (Nova Edição) | Inscrições abertas # Curso de formação // Gestão de Organizações de Economia Social

A 22 de outubro terá início nova edição da formação em Gestão de Organizações da Economia Social.

Tendo em vista a melhoria dos procedimentos e competências de gestão e administração e a capacitação das organizações para a melhoria da qualidade dos serviços prestado, a CASES  lança uma nova edição do Curso GOES que contará com 8 módulos formativos nas diversas vertentes da gestão de organizações.

Mais informações aqui

 

Referencial de Formação em Gestão de Organizações da Economia Social

Considerando as suas atribuições, a Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES) desenvolveu o FORMAES – Programa de Formação para a Economia Social, um programa de apoio à gestão e à modernização das entidades do sector da Economia Social, com os objetivos de reforçar as qualificações dos/as seus/suas dirigentes, dos seus quadros e restantes trabalhadores/as, bem como, promover a melhoria dos seus procedimentos de gestão e administração.

Neste âmbito integra-se o referencial de formação em Gestão de Organizações da Economia Social, concebido a partir de diversos diagnósticos realizados, da experiência da CASES na atividade formativa dirigida ao setor, e dos contributos de vários/as especialistas nas diferentes temáticas abrangidas.

O referencial de formação constitui, assim, um instrumento de apoio ao desenvolvimento de iniciativas formativas que visam atender a necessidades de formação relacionadas com a gestão de organizações, nas suas diversas vertentes, tendo como destinatários/as dirigentes e técnicos/as de entidades da economia social, consagradas no artigo 4.º da Lei nº 30/2013 de 8 de maio (Lei de Bases da Economia Social).

Objetivos gerais, relativos ao referencial de formação em gestão de organizações da economia social:

– Sensibilizar os/as dirigentes e quadros técnicos para as temáticas da economia social;

– Melhorar os procedimentos de gestão e administração das organizações de economia social;

– Desenvolver e promover competências de gestão dos/as seus/suas técnicos/as e dirigentes para a otimização dos recursos humanos, técnicos e financeiros;

– Dotar as organizações de conhecimentos específicos e de ferramentas de trabalho que lhes permitam aumentar a qualidade dos serviços prestados.

 

Aos níveis da estrutura e conteúdos programáticos, integra os seguintes módulos formativos:

– Economia Social;

– Gestão Estratégica;

– Gestão de Recursos Humanos;

– Contabilidade e Fiscalidade;

– Gestão Financeira;

– Marketing e Comunicação;

– Gestão de Projetos;

– Ética e Responsabilidade Social.

Utilização do referencial:

A utilização é livre, podendo ser replicado na íntegra, ou constituir uma referência de base para a definição de um programa de formação. Deste modo, os módulos, a carga horária e os conteúdos programáticos podem ser adaptados, de modo a garantir que a ação de formação a desenvolver corresponda às necessidades identificadas;

– O referencial encontra-se organizado em unidades modulares autónomas, pelo que, ao nível da conceção de uma ação de formação, esta poderá incidir sobre o referencial na sua globalidade, sobre um conjunto de módulos em específico, ou apenas sobre um módulo;

– Em complemento ao referencial de formação, as entidades interessadas no desenvolvimento de ações na área da gestão de organizações, podem consultar a Bolsa de Formadores para a Economia Social da CASES, para efeitos de recrutamento e seleção de formadores/as para as diferentes áreas e módulos de gestão.

Download do Referencial de Formação

Bolsa de Formadores/as para a Economia Social 

A Bolsa de Formadores/as para a Economia Social visa dar resposta a necessidades de recrutamento e seleção de formadores/as, no âmbito de atividades formativas desenvolvidas através de recursos próprios por entidades de economia social consagradas no artigo 4.º da Lei nº 30/2013 de 8 de maio (Lei de Bases da Economia Social), ou entidades públicas com atuação direta ou indireta no domínio da Economia Social.

Através dos diagnósticos realizados foram identificadas e validadas diversas áreas de formação, relevantes para a melhoria dos procedimentos de gestão e administração das organizações do sector da economia social, tendo em vista uma eficaz aplicação dos recursos disponíveis e a sustentabilidade das suas estruturas, projetos e atividades.

Neste sentido, e de modo a prosseguir com as atividades inerentes às suas atribuições legais, entre as quais “promover e colaborar na dinamização da formação no sector da Economia Social, nomeadamente através do reforço da qualificação dos profissionais e da sustentabilidade das organizações do sector”, a CASES propõe-se a constituir e manter uma bolsa de formadores/as de âmbito nacional, capaz de responder às necessidades e aos projetos formativos das entidades do setor da economia social em Portugal.

CONSULTA DA BOLSA DE FORMADORES PARA A ECONOMIA SOCIAL

Para consultar a Bolsa de Formadores/as, enviar o formulário (devidamente preenchido e assinado) para cases@cases.pt

Formulário de Pedido de Consulta

O seu preenchimento visa enquadrar a consulta nos critérios de constituição da Bolsa de Formadores/as para a Economia Social, atendendo às necessidades do projeto formativo da entidade.

Âmbito geográfico da Bolsa de Formadores para a Economia Social:
Regiões NUTS II de Portugal Continental: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve.

Áreas de Formação da Bolsa de Formadores para a Economia Social:
– Economia Social;
– Regimes Jurídicos da Economia Social;
– Gestão Estratégica;
– Gestão de Recursos Humanos;
– Gestão Financeira;
– Gestão de Projetos;
– Contabilidade e Fiscalidade;
– Marketing e Comunicação;
– Comunicação Organizacional;
– Tecnologias de Informação e Comunicação;
– Ética e Responsabilidade Social;
– Empreendedorismo e Inovação Social;
– Avaliação de Impacto Social;
– Voluntariado*.

* Acerca do enquadramento da área do voluntariado, ver referencial de formação aqui 

CANDIDATURAS DE FORMADORES/AS

Requisitos obrigatórios:
– CAP ou CCP de Formador/a;
– Formação académica ou complementar e experiência profissional relevante para a área de formação a que o/a formador/a se candidata.

Critérios de valorização de candidatura:
– Formação académica ou complementar e experiência profissional relevante na área da Economia Social;
– Docência ou ministração de formação académica e/ou profissional na área da Economia Social;
– Elaboração de estudos ou publicações na área da Economia Social.

Envio de candidaturas:
As candidaturas à Bolsa de Formadores para a Economia Social são realizadas através do envio para cases@cases.pt, dos seguintes elementos: Ficha de candidatura (devidamente preenchida e assinada); CAP/CCP de formador/a; Curriculum Vitae.

DOWNLOAD do Formulário de Candidatura Formador/a